Medicina psicossomática: definição e importância


A medicina psicossomática é um campo científico cujo conceito central é que a mente e o corpo são aspectos integrais de todos os aspectos da função humana. Não se trata apenas de doença – inclusive, ao contrário do que muitos acreditam, a medicina psicossomática não é uma especialidade médica, e sim uma habilidade que deveria estar presente em todos os médicos – mas também da saúde. 

A medicina psicossomática estuda as relações do meio biopsicossocial do ser humano e sua relação com a saúde e a doença. A medicina psicossomática contribui de maneira muito importante para o cuidado de pacientes não só com doenças psiquiátricas, como outros comorbidades médicas de maneira geral (1).

Em artigo de revisão publicado por Fava et. al (2), a definição mais recente da medicina psicossomática seria a de uma estrutura abrangente e interdisciplinar para: 

  • Avaliação de fatores psicossociais afetando a vulnerabilidade individual e o curso e desfecho de qualquer doença;
  • Uma consideração holística do cuidado do paciente na prática clínica; e 
  • Integração de terapias psicológicas na prevenção, tratamento e reabilitação de doenças 

Como a definição explicita, trata-se de um campo multidisciplinar da medicina. Isso quer dizer que todos os profissionais de saúde precisam ter uma visão de fatores extrínsecos na saúde e na doença dos indivíduos.

Como base para o cuidado, o profissional deve levar em consideração: 

  • Eventos do início da vida: fatores que influenciaram o desenvolvimento da pessoa podem levar a doenças a curto e a longo prazo; 
  • Eventos recentes de vida: devemos nos atentar também ao contexto recente daquele indivíduo. Será que ele passou por alguma perda recente? Está em sofrimento familiar, no trabalho? Hoje sabemos que isso tem relação com doenças endócrinas, cardiovasculares, respiratórias, gastrointestinais, auto-imunes, dermatológicas, neoplásicas, entre outros.
  • Estresse crônico: é importante avaliar também o contexto daquela pessoa no longo prazo. Há muito tempo que os eventos de vida tem sido estressantes? Inclusive, Mc Ewen e Stellar (3) propuseram uma relação entre estresse e o processo que leva à doença.

Além disso, devem ser avaliados comportamentos de saúde (como tabagismo, etilismo, prática de exercícios físicos) e a rede de apoio do paciente, assim como atividades da vida diária que lhe tragam prazer.

Assim, conhecendo esses fatores da vida de um paciente é possível ampliar o cuidado de maneira global, ao invés de focar apenas na doença, esquecendo-se do ser humano que está em volta dela. 

Instituições mundiais que promovem a medicina psicossomática, além da ABMP, incluem: 

  • A Academia de Medicina Psicossomática, dos Estados Unidos (Academy of Psychosomatic Medicine),
  • A Sociedade Americana de Medicina Psicossomática (American Psychosomatic Society), 
  • A Associação Europeia de Medicina Psicossomática (European Association of Psychosomatic Medicine), e 
  • O fórum chinês de medicina psicossomática (the Henan Forum for Psychosomatic Medicine).

Referências 

  1. James J. Strain , Globalization of psychosomatic medicine, General Hospital Psychiatry (2017), doi: 10.1016/j.genhosppsych.2017.07.003
  2. Fava GA, Cosci F, Sonino N. Current psychosomatic practice. Psychother Psychosom. 2017;86(1):13–30.
  3. McEwen BS, Stellar E. Stress and the individual. Mechanisms leading to disease. Arch Intern Med 1993; 153: 2093–101.

Deixe uma resposta

Fechar Menu